domingo, janeiro 22, 2006

neste momento


(Vale de Colares, Serra de Sintra ao entardecer)

Vou-me deitar, vou dormir embalado,


"Na idéia tão confortável de hoje ainda não ser amanhã,
De pelo menos neste momento não ter responsabilidades nenhumas,
De não ter personalidade propriamente, mas sentir-me ali,"
sem mais nada em que pensar... apenas existir.

(Eu e Álvaro de Campos)

1 comentário:

Anónimo disse...

Mas, tu dormes?Pensava que estavas sempre alerta para ver se o Almada já tem mais uns versos tristes para tu copiares!Olha que ele ainda te aparece uma noite destas,tem cuidado,é que eu já lhe disse para ele te roubar o livro das tristezas.Chau vou fazer qualquer coisa.Maria

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...