terça-feira, março 31, 2020

Liberdade Coartada


Retido em Casa - dia 20

Estou a ficar farto de ser, de estar - fechado!
Sinto-me cansado, chateado, e de mais outras formas adjectivado.
Triste, agastado, irritado, sem vontade para continuar neste estado.
Gaita. Viver assim, não é vida!
Para onde foi a minha LIBERDADE..?








sexta-feira, março 27, 2020

Pintura Demorada


Retido em Casa - dia 16

A pintura desta divisão da casa, o corredor,
vai demorar mais tempo do que estava previsto, ou seria desejável.
E tudo por culpa da nova "decoração" das aduelas das portas;
às tantas, esqueço-me do que estou a fazer e dou por mim a ler as notícias ou a apreciar as imagens dos recortes das revistas que me serviram para protecção da madeira.
Enquanto isso, do rolo de pintura que seguro na mão, vai pingando tinta para o chão.
Mas não faz mal - felizmente o chão está bem protegido e quanto ao tempo perdido,
não há problema - o orçamento da empreitada é suficientemente elástico para cobrir a falta de cumprimento dos prazos.
Não há pressa... ou como diz o meu primo australiano, "no worries, mate!"


quinta-feira, março 26, 2020

Armado em Pintor


Retido em Casa - dia 15

E então, descobri que também tenho algum jeito para a pintura, ou melhor, para as pinturas...


sábado, março 21, 2020

Despertar DCLXVI



Fechado em casa - dia 10
Mais um dia e, continua tudo na mesma:

o gato dorme num dos seus poisos preferidos, junto à janela;
aguarda que eu me levante para começar mais um dia de quarentena;
é então que o bichano desperta para vida - enquanto eu preparo o pequeno almoço,
ele fica num desatino, andando para cá e para lá, entre mim e a tigela da ração;
ele cheira a tigela e olha para mim, e põe a pata na caixa da ração e mia, baixinho, numa espécie de lamúria... e não desiste;
quando, finalmente, o bicho tem direito à primeira dose de ração do dia, ele aí vai, enroscar-se num lugar onde, não tarda, vai chegar o calor do sol - aí fica a dormir mais algumas horas, até despertar novamente ao sentir a azáfama da preparação do almoço.

domingo, março 15, 2020

Tempos de Incerteza


Retido em Casa - dia 4

Ui... agora é preciso melhorar um pouquinho a disposição.
Da garrafeira veio uma ajuda para:
 - esquecer as viagens que ficaram por realizar;
 - e não pensar nos tempos de incerteza que se avizinham.


sexta-feira, março 13, 2020

Sorte em dia aziago


Janela sobre Lisboa e o Tejo
Retido em Casa - dia 2.

É sexta feira 13, tradicionalmente um dia aziago.
Se dúvidas houvesse em relação a esta crença popular, enfim...
hoje seria o momento de confirmar uma regra e a sua consequente excepção.
A esta hora deveria estar a sobrevoar Lisboa, a bordo de um avião
com destino a Londres, de onde seguiria então para Reykjavik,
para passar uns dias na grande ilha do fogo e do gelo - Islândia.
Por opção, foi decidido cancelar a viagem, e ainda bem, porque,
soube entretanto, a viajem de regresso viria a ser assaz complicada,
se não impossível.
Uma boa dose de sorte numa decisão de sexta-feira 13. Ora aí está!

quinta-feira, março 12, 2020

Isolamento Social


Retido em Casa - dia 1

Vai ser duro suportar a quarentena anunciada.
Viver as próximas semanas (duas ou mais) retido em casa,
confinado, limitado a 120 metros quadrados de espaço "livre", entre paredes.


sábado, março 07, 2020

Despertar DCLXIV


Livramento, Mafra

Foi há mais de 50 anos, a primeira e única vez que entrei neste moinho, na Serra da Aboboreira.
Nesse tempo distante, o engenho estava ainda em actividade, moendo os grãos de trigo ou milho para fazer farinha.
Recordo-me bem que o moleiro de então (meu primo em 2º grau) fez questão de explicar toda a extraordinária engrenagem mecânica que fazia funcionar o moinho.
Um engenhoso sistema de eixos e rodas dentadas em madeira fazia girar a pesada mó de pedra (hoje ali encostada à parede) sobre uma outra igual, de forma a triturar os pequenos grãos de cereal colocados entre superfícies mais ou menos lisas das duas pedras.
Ainda tenho na memória os mecanismos simples mas eficazes (sem óleo, sem gasolina nem electricidade) que convertiam toda a energia do vento em trabalho útil.
Havia diferentes controlos do movimento, nas velas de pano e nos eixos, adaptando a velocidade do sistema à força do vento.
A quantidade de grão que escorria da calha e a espessura da farinha resultante da moagem, também tinham eram controladas mecanicamente.


Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...