domingo, junho 30, 2019

Fim de Coisas


Praia Grande, Sintra

A praia "fecha", oficialmente às 7 horas da tarde.
No entanto, às 8 horas da tarde/noite ainda há gente no areal e na água.
Falta pouco para o "sunset" - vou-me deixar ficar aqui mais um bocadinho... a pensar num conjunto de coisas que acontecem naturalmente hoje:
  • Fim da praia.
  • Fim do dia.
  • Fim da semana.
  • Fim do mês.
  • Fim do semestre.
Todo um sucedâneo de eventos que não me preocupam. Nem mesmo este outro caso:
  • Fim do IRS - quero dizer, fim do prazo para declaração de IRS.
Isto pode ser motivo de preocupação para alguns contribuintes (mais distraídos, ou esquecidos).
Felizmente, não é o meu caso. Sou um ordinário cliente do "fisco" com as "contas em dia".






sábado, junho 29, 2019

Amanhecer DCLXXVIII


"Rosa", Jacques Brel

C'est le plus vieux tango du monde
Celui que les têtes blondes
Ânonnent comme une ronde
En apprenant leur latin
C'est le tango du collège
Qui prend les rêves au piège
Et dont il est sacrilège
De ne pas sortir malin
C'est le tango des bons pères
Qui surveillent l'œil sévère
Les Jules et les Prosper
Qui seront la France de demain

Rosa, rosa, rosam
Rosae, rosae, rosa
Rosae, rosae, rosas
Rosarum, rosis, rosis
...
Declinações de Latim - uma recordação do meu tempo de liceu - e um bocadinho de tango de Brel.


sexta-feira, junho 28, 2019

Ensaio Geral

Praia das maçãs, Sintra
Gostei de ver (até gravei um pouco de vídeo) e aplaudi este animado grupo de dança, que deu espetáculo imprevisto. 
Saracoteando, gingando e pulando ao som do ritmo "afro" debitado por uma pequena aparelhagem,
as "miúdas" dedicaram uma boa meia hora a repetir os movimentos e passos de dança e as marcações da coreografia.
Interessante terem escolhido este local para o ensaio do dia - entre a terra e o mar - no plano da cobertura do viveiro de uma marisqueira da praia.

quinta-feira, junho 27, 2019

Porque sim

Praia Grande, Sintra
Porque hoje não tenho uma história para contar.
Também não tenho impressões de viagem para divulgar.
Não encontrei no meu caminho uma nova fonte para assinalar.
Sentimentos, emoções, alegrias, tristezas, e outras coisas sensações... nada.
Estou amorfo, não tenho o que partilhar.

Se tenho nada para dizer, porque publico então um "post"? Ora, porque sim!!!

quarta-feira, junho 26, 2019

Sem compromissos


Praia das maçãs, Sintra
Encostei a bicicleta e sentei no miradouro apreciando o mar, o céu, o tempo morno,
a brisa do mar que sopra ligeira, de oeste, carreando os cheiros a mexilhão e algas.

Faz 15 dias que não conduzo um automóvel - sensação de liberdade e despreocupação.
Em viagens de autocarro, comboio, bicicleta e mais vezes, apenas caminhando, tenho preenchido o meu dia-a-dia sem horários, a não ser os dos autocarros, para cumprir.

Só eu e o gato, em casa, sem compromissos sociais. Por vezes chego tarde e o bichano reclama, mas eu faço de conta que não percebo...

terça-feira, junho 25, 2019

Gato escondido...

O meu gato é do contra.
Gato escondido com rabo de fora!
Não, nada disso. Ele faz o contrário.
Gato à vista com rabo para dentro!
Está lá fora no parapeito ("catwalk") a controlar o movimento da rua.

segunda-feira, junho 24, 2019

Da Roca para o Raso

Cabo da Roca (Colares, Sintra)
O autocarro começou a despejar a carga (vinha a abarrotar) de turistas.
No "smartphone" do "camone" que ia ao meu lado, uma vozinha dizia «...the westernmost point of continental Europe...etc.»
Ora bem, estamos na pontinha ocidental da Europa, «onde a terra se acaba, e o mar começa» e etc., etc. por ai afora, dizia um português de gema, ao sair do "Buss".
E eu, tirei esta foto e pensei:
ao olhar daqui do cimo deste penedo levantado 150 metros acima do mar, entendo bem porque se chama Cabo Raso, àquela estreita faixa de rochedos que se avista lá em baixo entrando pelo mar a dentro.


domingo, junho 23, 2019

A Fonte 739


Jardim do Cerco, Mafra

Hoje houve animação nos jardins do Palácio Convento de Mafra.
Uma série de voluntários, "artistas" populares, interagindo com os visitantes (pequenos e grandes) encarnaram figuras do séc. XVIII, equipados a rigor com trajes da época, recuperaram usos e costumes, incluindo jogos tradicionais muito antigos.


sábado, junho 22, 2019

Amanhecer DCLXXVII


Praia das Maçãs

O sol permanece escondido.
Um intenso nevoeiro, a névoa pesada, teima em passar a manhã na praia.
Esta plantinha silvestre, invasora do meu quintal, ainda conserva a humidade da noite!


sexta-feira, junho 21, 2019

Dito e feito



Campo de Santa Clara, Lisboa
Este é somente um bocadinho do painel de 52.738 azulejos – nem mais, nem menos – pintados à mão por André Saraiva e produzidos na Fábrica de Cerâmica Viúva Lamego, para decorar os 188 metros de comprimento do muro de Jardim sobranceiro ao largo da Feira da Ladra.
Ao que li, esta obra, demorou apenas 2 anos a realizar, desde o dia em que o artista apresentou a proposta para aqui fazer o grande mural.
Em contraste com a vizinha Igreja de Santa Engrácia (Panteão Nacional), cujas obras demoraram à volta de 300 anos.


quinta-feira, junho 20, 2019

Fora de moda


Baixa de Lisboa
Acho que, felizmente, começou a cair em desuso a mania dos "cadeados do amor"
que eram bloqueados pelos turistas "amantes" em tudo quanto era gradeamento
de protecção de pontes e miradouros dos lugares mais visitados do mundo, como é
o caso deste passadiço e miradouro do Elevador de Santa Justa.
Juras de amor eterno! Enfim... promessas e "de promessas está o inferno cheio", diz o povo e com razão. O mesmo povo que ainda há pouca horas preencheu as ruas ali em baixo, para assistir à maior manifestação religiosa que ocorre em Lisboa - a Procissão do Corpo de Deus.


quarta-feira, junho 19, 2019

Nova perspectiva


Terraços do Carmo, Lisboa

Na verdade não posso dizer que se trata de um panorama extraordinário.
É apenas um ponto de vista diferente da da Baixa da minha cidade.
Esta perspectiva do passadiço e torre do velho elevador, com a colina do Castelo em fundo, até há bem pouco tempo não era acessível ao comum dos turistas.
Só o passou a ser após a recente construção de escadas de acesso à nova esplanada/bar que agora funciona nas traseiras do Convento e do Quartel do Carmo.



terça-feira, junho 18, 2019

A Fonte 738

Correnteza, Sintra

Esta artística fontezinha foi instalada nesta esquina há muito pouco tempo, vinda de um outro lugar, que ainda não sei qual.

Só sei que fica muito bem aqui, próximo da antiga estação terminal do comboio, e ao lado do miradouro da Correnteza, excelente local para relaxar espraiando a vista por sobre o Vale da Raposa.

segunda-feira, junho 17, 2019

Saber popular


Algures na falésia próximo das Azenhas do Mar.

Apreciando o esconder do sol sobre o oceano, no horizonte.
Sem querer, sem pensar, digo só para mim - «sinto que vem lá chuva!»
O meu conhecimento empírico leva-me a induzir coisas destas.

domingo, junho 16, 2019

Praia desclassificada


Ex-Praia da Aguda, Sintra

Este ano está bem preenchida de areia toda extensão da faixa de praia que liga a Aguda ao Magoito.
A escadaria de acesso à praia a partir do estacionamento-miradouro da Aguda, foi melhorada.
Refeitos e reforçados alguns dos rudimentares degraus escavados pelos pescadores de antigamente.
Também se fixaram baias de protecção nalguns pontos críticos.
Agora parece menos perigosa a coplicada descida da escarpa, no entanto, a grande instabilidade das arribas nada garante!

Descer ficou mais fácil, mas subir... continua a exigir muito fôlego.

sábado, junho 15, 2019

Amanhecer DCLXXVI


Praia das maçãs, Sintra

Pouco concorrida ainda, a nossa praia, nos primeiros dias da época balnear 2019.


sexta-feira, junho 14, 2019

A Fonte 737

Nora do Jardim do Cerco, Mafra

Dia de passeio pelo Oeste - a chamada "voltinha saloia".
Paragem ao lado do Convento, para saborear o doce regional - o "Fradinho".
Breve visita ao interior da Basílica e passeio nas alamedas do jardim, à entrada da Tapada.

quinta-feira, junho 13, 2019

O mais popular



jardim do Campo Pequeno, Lisboa

Pois, ao que dizem, o mais popular de todos os santos, nasceu em Lisboa em agosto e finou-se em Pádua, precisamente no dia 13 de junho - o dia feriado oficial da nossa Lisboa e de outros lugares.

Assim a noite mais celebrada e mais concorrida das festas e arraiais dos Santos Populares em Lisboa
é, sem dúvida, a noite dedicada a Santo António, o franciscano que afinal se chamava Fernando.

Paciência de santo.
Este ano não fiz a tradicional ronda nocturna pelos vários arraiais dos bairros típicos da ninha cidade.
Por causa do vento fresco demais (entre outras desculpas) a maioria do nosso grupo decidiu - a noite não está de feição para grandes passeios - «ficamos por este arraial».
Ao fim de 4 horas de pé, os meus 70 anos obrigaram-me a pedir dispensa - foi só o tempo para mais uma imperial e uma bifana e... recolher.
Não tenho paciência para ficar muito tempo no mesmo lugar.

terça-feira, junho 11, 2019

A ver navio de Crystal


O "Crystal Serenity" em Lisboa

O novo Terminal de Cruzeiros de Santa Apolónia (Lisboa) é considerado o melhor terminal de navios de cruzeiro da Europa.
Eu gosto sempre de passar por aqui e ficar alguns momentos apreciando os grandes navios, por vezes dois ou três, acostados no cais.
Acho uma coisa extraordinária, a engenharia naval que permite desenhar, calcular, construir e pôr a navegar no oceano, uma aldeia com alguns milhares de habitantes aos quais é proporcionado todo o conforto e divertimento que se pode encontrar numa cidade moderna - restaurantes, cinemas, teatros, casino, piscinas, ginásios, esplanadas, solários e sei lá que mais...



segunda-feira, junho 10, 2019

Dia de Portugal


Panteão Nacional (Lisboa)
A cúpula de Santa Engrácia vista da Travessa do Paraíso.
Dia feriado nacional e fim de semana prolongado - altura ideal para passear na cidade quase deserta.


domingo, junho 09, 2019

Praia dos Dinossauros



Icnótopo da Praia Grande (Sintra)
Quem antigamente conseguia subir, ou descer, a grande escadaria na falésia no sul da Praia Grande, podia observar na superfície da camada de rocha calcária que cobre a arriba quase vertical, algumas dezenas de impressões gravadas na rocha, resultado das patas dos Dinossauros que por aqui passeavam há 125 milhões de anos, mais coisa, menos coisa - nada de especial na escala do tempo geológico do (ainda) nosso planeta.
Entretanto, alguém teve a ideia de contratar artistas de murais de rua para decorar todo o novo paredão da praia com imagens alusivas aos "animaizinhos" frequentadores da Praia Grande no Período Cretácico.
Ainda tive oportunidade de observar alguns dos "habilidosos" em plena actividade criativa, munidos de escadote e dezenas de latas de spray.



sábado, junho 08, 2019

Amanhecer DCLXXV


Monte da Senhora da Confiança (Pedrogão Pequeno)
«É hora de "check-out". Estamos de partida.»

Não tenho a certeza, mas acho que este foi o lugar do antigo estaleiro, escritório, dormitório das obras de construção da Barragem do Cabril.
Recordo bem a primeira vez que por aqui passei. Há cerca de 15 anos, existia quase tudo o que agora é hotel, mas estava ao abandono. Não sei porquê. Não procurei saber, na altura.
Só sei que, depois foi construído o excelente hotel que tem sido o meu pouso habitual durante os passeios pela região das praias do Pinhal Interior.

sexta-feira, junho 07, 2019

Homem Espuma


Sertã (monumento de homenagem ao Padre Manuel Antunes)

Depois do excelente almoço (no Delfim, ou Ponte Velha) vou sentar-me aqui e fazer de conta que estou a seguir o discurso, dissertação do Prof. Antunes.
«Ele aí vem, o homem-espuma. Ligeiro, agitado, caprichoso, vão. Sem densidade e sem espessura. Sem raízes e sem passado. Nasceu hoje. Produto de uma sociedade sem pai e sem mãe, de uma sociedade espantosamente tumultuária e espantosamente célere no seu curso declivoso, o destino desse homem parece flutuar num momento e num momento sumir-se. Apareceu e desapareceu,...
O homem-espuma sucede ao homem-máquina, um conquistador por natureza. Na terra, no ar e no mar, o seu império vastíssimo tende a alargar-se a tudo, a transformar tudo, a dominar tudo e absolutamente tudo. O homo mechanicus é o homem da ruptura. Da ruptura do equilíbrio entre ele e o seu meio (natural); entre ele e o outro (ou os outros); entre ele e ele; angústia, ansiedade, insatisfação, inquietude contínua, morbidez subjectiva,..»


quinta-feira, junho 06, 2019

A Fonte 736


Vila de Rei (Pinhal Interior Sul)

Terra onde se encontra o "Marco Geodésico" que assinala o ponto zero;zero (0;0) das coordenadas corográficas de Portugal continental.

Pelo caminho encontramos este interessante fontanário que ocupa quase metade da largura de uma rua perto do centro da vila.
Na base tem gravado - "#VR 1944"
No frontão tem um painel de azulejo com uma cena bíblica e a inscrição do "Exodo":
"FERIRÁS A PEDRA E DELA SAIRÁ ÁGUA PARA QUE O POVO BEBA"
Encimado pela coroa real e brazão do município:
- uma pena, cruz de Malta (Templários), escudo de quinas, cruz de Cristo e ondas de água.

quarta-feira, junho 05, 2019

Porta 1


Oleiros (Pinhal Interior Sul)

Verdadeiramente a porta de entrada do ninho.
Em muitos lugares, desde há uns tempos, as autarquias começaram (e muito bem) a convidar os artistas de murais a contribuir para o embelezamento das ruas com as suas pinturas originais.
No entanto, nunca eu tinha visto essa criatividade ser dirigida em especial para a decoração das portas da rua, como acontece aqui em 4 ou 5 ruas desta vila.





terça-feira, junho 04, 2019

Pinhal Interior

O Rio Zêzere - uma linha de água que separa duas regiões: o Pinhal Interior Norte e o Pinhal Interior Sul.
O rio, corre num profundo vale, aqui a jusante do enorme paredão que sustém as águas de uma das maiores albufeiras de Portugal - a Barragem do Cabril.

A Ponte Filipina, lá em baixo, perto da superfície das águas do rio e muito acima, o Viaduto do IC8 - as obras de engenharia civil que ligam as mesmas duas regiões e os lugares sobranceiros a este desfiladeiro: Pedrogão Pequeno, a Sul e Pedrogão Grande, a Norte.
Hoje, ainda é possível trilhar os caminhos antigos que conduzem à velha ponte e atravessar (a pé) o rio. Mas para mim, não vai ser hoje - a névoa pousada sobre as cumeadas, prenuncia chuva.





segunda-feira, junho 03, 2019

A Fonte 735


Troviscais Cimeiros (Pedrogão Grande)

A flora em plena recuperação, muitos meses depois do grande incêndio que andou por estas paragens.
Aqui mesmo ao lado, há cerca de 15 anos anos, fiquei alguns dias hospedado com a família, na "Vila Isaura" - guardo muito boas recordações desse tempo, do lugar e sobretudo dos donos da casa, um casal que nos recebeu de forma extraordinária.
E, coincidência curiosa, depois de alguns dias de conversas ao pequeno almoço, na grande cozinha da casa, ficámos a saber que os donos da casa eram padrinhos do marido de uma colega minha da RTP.

domingo, junho 02, 2019

A Lapardana


Aldeia do Arripiado (Chamusca)

Almoço em Tancos, na beira rio, com vista para a encosta da aldeia que é uma das maravilhas de Portugal - o Arripiado.
A "Lapardana" é uma receita de comida antiga, muito antiga, típica das gentes da beira-rio do Ribatejo.
Esta iguaria tradicional fazia-se, principalmente para aproveitar as sobras de outra refeição, de couve e batata cozida com bacalhau.
Um prato dos tempos de fome, os tempos "da outra senhora", que era comum aos "gaibéus", aos "avieiros" e outra gente que pescava e trabalhava nas valas e esteiros
da lezíria do Tejo.

sábado, junho 01, 2019

Amanhecer DCLXXIV


Castelo de Almourol (Vila Nova da Barquinha)

Erguido sobre um maciço de pedregulhos no meio do rio Tejo - não é bem no meio, é mais chegado à margem direita de onde quase se pode atravessar a vau, em certas ocasiões de fraco caudal do rio.



Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...