quinta-feira, janeiro 19, 2006

Homem de Mulher


Quis-te tanto que gostei de mim!
Tu eras a que não serás sem mim!
Vivias de eu viver em ti
e mataste a vida que te dei
por não seres como eu te queria.
Eu vivia em ti o que em ti eu via.
E aquela que não será sem mim
tu viste-a como eu
e talvez para ti também
a única mulher que eu vi!

(Almada Negreiros)

- o título original deste poema é pesado: "Homem carregando cadáver de mulher nos ombros"

2 comentários:

Anónimo disse...

Fabuloso.Descobro(?)(Nao sei se è correct?)Almada Negreiros.
Obrigada.

O Bicho disse...

Está quase bem "descubro". Mas não faz mal, a gente percebe.

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...