quarta-feira, fevereiro 06, 2008

o Sacrista



Simetria e as Janelas da Sacristia.

SACRISTA do garoto!
Não tem juízo nenhum...
lastimava o meu Avô Hemitério, é mesmo levado da breca, quando crescer vai ser um desatinado, e murmurava um adágio a propósito,
"A soldado e a sacrista, não há amor que lhe resista."


O Sacrista era eu. Mas, pensando bem, acho que o meu primo que estudava no Seminário e que ajudava à missa, durante as férias de Verão, lá na aldeia, era mais Sacrista do que eu. Se eu era um Sacrista ele era um Sacristão, pois então.
Quando ele tomava conta da Sacristia, por vezes, eu ia ajudá-lo a preparar as coisas para a missa. Nessa altura, ele gostava de comer as finas folhinhas de pão de onde se recortavam as óstias - um dia, também provei - eram feitas de pão branco, não havia dúvida, mas não achei nada de especial a não ser, talvez, que tinham falta de sal.
Penso que foi a única vez que "papei" uma óstia.

1 comentário:

Anónimo disse...

Eu papei alguns milhares de hóstias.
E também fui as duas coisas - Sacrista e Sacristão!

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...