quarta-feira, outubro 08, 2008

tudo fora



bolhas de goma arábica
em casca de pessegueiro;
a raiva deita por fora,
de contida, irrompe,
dos poros fechados
dos sentidos recolhidos.
tudo o mais foi fora,
foi tudo embora:
palavras para fora,
tudo fora de mim.

por dentro, a desolação;
por fora, o andar errante,
sorriso incipiente,
um olhar perdido,
no semblante amorfo,
sereno... pacato e descuidado;

falso preconceito de ordem
atormenta os sentimentos
com emoções fora de tempo;
o tempo sem data,
que parou por dentro
duma vida sem nada;
desisto da vida,
não quero nada - aceito tudo!
basta-me apenas um dia,
somente um dia, em cada dia,
para o resto de uma vida,
ser bem vivida.

Sem comentários:

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...