terça-feira, maio 08, 2007

a Direita


NA MÃO DE DEUS

Na mão de Deus, na sua mão direita,
Descansou afinal meu coração.
Do palácio encantado da Ilusão
Desci a passo e passo a escada estreita.

Como as flores mortais, com que se enfeita
A ignorância infantil, despojo vão,
Depus do Ideal e da Paixão
A forma transitória e imperfeita.

Como criança, em lôbrega jornada,
Que a mãe leva ao colo agasalhada
E atravessa, sorrindo vagamente,

Selvas, mares, areias do deserto...
Dorme o teu sono, coração liberto,
Dorme na mão de Deus eternamente!

(Antero de Quental)

1 comentário:

Anónimo disse...

Esta é que é a "Irmã da Canhota" que nós por cá, utilisamos para tudo e mais alguma coisa.
Para os americanos, não serve para quase nada - os camones são quase todos canhotos, até parece que fazem questão nisso.
Lá naquela banda até as fechaduras das portas funcionam ao contrário das nossas.

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...