quinta-feira, novembro 27, 2008

a Fonte 310


(Fonte dos Amores, numa aldeia do Oeste, do Montejunto)

Acorriam os namorados
A chorar seus desamores
De vidas desencontradas
E afogavam suas mágoas
Na frescura destas águas
Essas almas apaixonadas
Lamentando suas dores
Vindos de todos os lados

1 comentário:

Anónimo disse...

A fonte dos namorados

À fonte dos namorados
Iam as belas moçoilas
Colher ramos de papoilas
Para dar aos seus amados.

Esperavam e, muitas vezes
Quando esperavam em vão
Ficavam as flores sem cabeça
E, elas sem coração.

Mas se vinham, que alegria!
Ao verem o seu amor
As flores ganhavam mais cor
Tinha mais cor, a Maria.

Maria (Que por acaso, nunca foi à fonte)

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...