quarta-feira, novembro 19, 2008

a Fonte 305


A "Fonte dos Cavalos", em Alfama, passou a chamar-se "Chafariz de Dentro", após o alargamento das muralhas orientais da cidade de Lisboa, até à praia do Tejo.

No começo do Beco do Mexias, este painel de azulejos e a porta de madeira na parede lateral do chafariz , parecem remontar à época da expansão da muralha fernandina.

Quanto à parte da frente do chafariz (as bicas e os tanques) praticamente nada resta do que, em tempos, foi uma importante fonte alimentada pelas nascentes de águas minerais de Alfama.

4 comentários:

Anónimo disse...

Lindos azulejos, Bicho. Agora só fazem "amarelejos", "verdelejos" e outras aberrações, que nós gramamos nas casas de banho e cozinha. Além disso, das nossas casa branquinhas, já pouco resta. São todas "casas de banho, viradas do avesso".
Ai que saudades!
Beijo
Maria

Cristina disse...

Tu connais toutes les fontaines du Portugal!
Toujours très agréable à regarder.
beijinhos.

O Bicho disse...

Certo, Maria, e é pena que muitos trabalhos de azulejaria tradicional portuguesa que se veem nas ruas de Lisboa, se encontrem em muito mau estado de conservação, como é o caso destes aqui.
Et bien, Cristina, on peut dire que je connais presque toutes, ou au moins, la moitié de toutes les fontaines que existent dans le pays, de l'Algarve a Tras-os-Montes.

Anónimo disse...

Bicho:
Conheces, concerteza, o "Museu do Azulejo", na Madre de Deus. É uma maravilha.
Maria

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...