domingo, janeiro 25, 2009

a ver navios 58


O REGRESSO
..
Antes de ti o mar era mistério.
Tu mostraste que o mar era só mar.
Maior do que qualquer império
foi a aventura de partir e de chegar.

Mas já no mar quem fomos é estrangeiro
e já em Portugal estrangeiros somos.
Se em cada um de nós há ainda um marinheiro
vamos achar em Portugal quem nunca fomos.

..
(Manuel Alegre)

1 comentário:

Anónimo disse...

Libertação

Rasgou minha alma um grito agudo
De libertação.
E eu desdobrei as asas nos espaços,
Sem peias, sem pudor e sem razão,
Abrindo os braços,
Como um irmão,
Ao mar e ao céu!
Na plenitude heróica do meu ser,
Caminhei sem parar,
Levando nos meus dedos
Todo o poder
Indómito do mar.
Livre de grilhões e de cadeias
Eu dei o corpo à terra sem chorar,
E senti o pulsar nas minhas veias
A imensidão do mar.
Libertou-se a minha alma!
O mar cantou mais alto,
O céu ficou maior
E eu fiquei sem saber
Se a minha alma era o céu,
Se era o mar,
Se era eu!

Ary dos Santos

São dois dos meus poetas.
De cada vez que falares num, vais ter que ler o outro, ou Torga, ou Sofia, ou Camões.
Beijo
Maria dos Alcatruzes

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...