segunda-feira, setembro 15, 2008

a Fonte 274


Até parece que me perco de propósito, só para encontrar uma Fonte.

Curiosamente, nem sabia que esta existia. Andava eu às voltas, mais ou menos perdido em vielas e travessas da Cantareira, quando deparei com este Chafariz dos Frades, escondido desde 1889, num recanto ao lado duma Igreja, cujo nome não vi.

Três factores, contribuiram para me desenrascar muito bem:
  1. não havia quase ninguém nas ruas daquele típico Bairro da Foz - estava toda gente na margem do rio a ver a corrida dos aviõzinhos - o que me permitiu manobrar o carro mais à vontade;
  2. o meu pequenininho Fiat Panda, é mesmo feito à medida das ruas estreitinhas;
  3. coadjuvado, claro está, pelo mais actualizado modelo exclusivo de GPS INTERIOR - o extraordinário (*) sentido de orientação geográfica que fui desenvolvendo no decurso de muitas viagens, sem norte, pelo nosso Portugal e arredores.

(*)
É falta de modéstia, mas é verdade.
Este era um tema para escrever mais.
Aquilo que eu sempre mais gostei de fazer, foi andar "à toa" por esse mundo fora, quer fosse de carro ou a pé.
Acho que o mesmo se passou com a minha vida - fui andando "à toa" por aí...

1 comentário:

Kim disse...

É à toa que se encontra o que se não procura.
Eu também gosto de andar à toa!

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...