terça-feira, setembro 16, 2008

Autoretrato 28


[Setembro chato, no Parque Serralves]

Setembro é o teu mês, homem da tarde
anunciada, em folhas, como uma ameaça.
Ninguém morreu ainda e tudo treme já.
Ventos e chuvas rondam pelos côncavos dos céus
e brilhas como quem no próprio brilho se consome
..
("Relatório e Contas", de Ruy Belo)

1 comentário:

Anónimo disse...

Belo o poema, do poeta Belo. Verdadeiro, também.
Bela a fotografia do belo parque de Serralves.
Tornou o meu dia um bocadinho mais belo.
Maria

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...