quarta-feira, março 11, 2009

a fonte 351


Mais ou menos aos 20 kms de pista, surge enfim uma "mina" e aproveitamos para uma refrescante pausa na excursão.

É uma nascente natural de água cuja pureza, infelizmente, não temos garantias, depois da catástrofe desencadeada pelos antigos donos da Mina de S. Domingos, os queridos amigos ingleses.
Ao abandonar a exploração, os "fdp fizeram o favor de deixar" inundar todas as galerias da mina, para impossibilitar qualquer hipótese de aproveitamento futuro da coisa - «já que não era p'ra eles... não era p'ra mais ninguém!»

Depois disto, é mais que provável a infiltração de águas ácidas nos veios aquíferos subterrâneos de toda a região.

1 comentário:

Maria disse...

Lavoisier dizia:"Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma".
No nosso paraíso à beira-mar plantado "Tudo se perde, nada se cria, tudo se transforma, para pior". Acho que já não é a primeira vez que digo isto, mas infelizmente é verdade.

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...