terça-feira, julho 22, 2008

ao de leve

AMPLIAR
Há três anos e tal que escrevo aqui coisas;
há igual tempo que preparo fotografias (quase exclusivamente tiradas por mim) para acompanhar ou documentar ou fundamentar os escritos.
Não tenho dito, isto é transmitido, até agora, quase nada de importante; para quem tem mais em que pensar; seja, por exemplo, como conseguir dinheiro para pagar as prestações da casa, do carro, as contas do telemóvel, da TV Cabo e do cartão de crédito e ainda assegurar o fornecimento de combustível para andar de automóvel.
Blogar é divagar;
é escrever a pensar em alguém que não é ninguém em especial; comunicar para além do que está acessível; longe da vista, fora do espaço do círculo auditivo; evocando a inspiração imaterial, desligando o sistema sensorial, ficamos a enviar mensagens para o além, sem tempo, sem conta, sem querer - é tudo o que faz não pensar em mais nada… muito ao de leve.

Sem comentários:

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...