domingo, fevereiro 11, 2007

Vista daqui 8


A depressão.
A solidão.
A depressão que se disfarsa na solidão.
A solidão que acentua a depressão.
A solidão que paira por cima da minha rua - às cinco da manhã - no nevoeiro denso.
A depressão que me faz ver as sombras da noite - às cinco da manhã - sozinho, acordado.
E a depressão entra pela minha solidão a dentro e faz-me gelar o pensamento.
E sinto o frio da madrugada, que transborda dos meus tristes sentimentos, para a rua.
E o frio, reflectido na parede de nevoeiro, da rua deserta, entra pelas janelas da alma.
Queria só fechar os olhos e dormir sem sonhar; e daqui a nada acordar; e tudo encontrar diferente.
Ah, como eu queria aprender a ser gente...

4 comentários:

Anónimo disse...

Meu querido Gigi, também convém, não assumir compromissos que não se possam cumprir.
Não te esqueças que para subir à montanha é preciso ter vontade e, às vezes, ajuda muito levar um cajado.

O Bicho disse...

Não digo nada...

Anónimo disse...

... o MAU TEMPO é doce tb :)
ajuda-o ...

carla mar

Anónimo disse...

Olà, Bicho, o moral esta non bem?
C'est la fin de l!hiver, le printemps est proche et tout ira mieux!
Prends soin de toi.

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...