quinta-feira, maio 31, 2018

Corpus Christi

Sé Catedral de Lisboa
Hoje eu fui ver a procissão do "Corpo de Deus", na minha aldeia que é Lisboa.
E gostei muito - todo o ambiente me trouxe recordações de infância e de juventude.
Vem a propósito esta estrofe refrão de um poema de António Lopes Ribeiro.
"A Procissão"
Tocam os sinos da torre da igreja,
Há rosmaninho e alecrim pelo chão.
Na nossa aldeia que Deus a proteja!
Vai passando a procissão.
..
Perdura na minha memória, a forma extraordinária como João Villaret, num programa dos primeiros anos RTP, interpretava este poema, bem como um outro de Alice Ogando.

"Maria da Conceição"
Maria da Conceição
Vi-te ontem na procissão
E duvidei do que via...
Pois quando por ti passei
Olhei em volta e reparei
que toda a gente se ria...
..

1 comentário:

M,Franco disse...

Aos rituais religiosos sou indiferente.
Gosto muito do silêncio nas igrejas vazias.
"Ouvi" João Villaret quando o recordou.

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...