segunda-feira, agosto 10, 2009

Hei-de



Hei-de passar, frente à porta de saída

andando sem parar, com o olhar desviado

sem querer saber o que estará do outro lado

para quê pensar nisso, se mais dia menos dia,

mais hora menos hora, mais tarde ou mais cedo

a inevitável e única certeza absoluta no futuro

e depois não sei mais nada, não tenho dúvidas

Hei-de sair, para me perder por aí

andando sem sentido, sem motivo

sem objectivo de buscar cousa alguma

mais uma vez sinto que estou a perder

e que vou perder o rumo, sem noção do tempo

vou retomar caminhos cruzados há muito, sem querer

repassando velhas pontes sobre rios de águas paradas


6 comentários:

Maria disse...

Bicho, meu amigo:
Neste momento não estou em estado de te animar. Só vejo portas fechadas, dor, desilusão.
Estou com uma neura dos diabos.
Tomei uma resolução, que devia ter tomado há muito tempo, mas estou feita um trapo. Rasgada até ao fundo de mim. Sinto que ninguém apoiou inteiramente a minha atitude. Ninguém quer saber o que me está a custar.
Depois deste arrazoado todo, só te digo que tem a ver com a minha filha.
Beijinhos e "Faz o favor de ser feliz". Eu vou tentar

Mié disse...

Bela fotografia!
...

a fragilidade da porta de saída ou de entrada, frágil mas colorida, numa estrutura granítica. forte de sólida.

...

Um beijo

fica bem.

O Bicho disse...

Maria,
há muito, muito tempo que não sabia notícias da vossa filha;
nem sei bem o que te dizer, para além de uma palavra de conforto, solidariedade e amizade para vocês.
Sei bem que os conflitos afectivos relacionados com os filhos são terríveis e muito difíceis de suportar e ultrapassar - mais ainda para uma Mãe.
Nem mesmo o tempo, que é o remédio para quase tudo, consegue neste caso, apaziguar o nosso íntimo.

O Bicho disse...

Hoje estou de partida para as margens do Douro (Alto Douro) - vou refrescar as ideias (e o pulmão) com outros ares, outros sabores, outros vinhos...
Logo ao jantar, espero erguer o meu copo com um tinto da Quinta da Real Companhia Velha (S. João da Pesqueira) e brindar à vinda de melhores dias para ti e para o meu velho amigo chefe Costa.

Maria disse...

Bicho;
Já me ajudaste, amigo. Obrigada pelas tuas palavras amigas.
Este é um problema já velho e não há como resolvê-lo.
Com o tempo irá doendo menos. Agora estou em carne viva e o ~Costa não está muito melhor.
Beijinhos meus e um abraço dele.

Maria disse...

Bicho amigo:
Boa estadia e que voltes completamente restabelecido, são os desejos dos amigos

Maria e Costa

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...