segunda-feira, novembro 26, 2007

Trepadeiras



Com um grãozinho na asa,
a desoras, bastante tarde,
procurei entrar em casa,
sem fazer muito alarde.

A porta estava fechada.
Por uma janela aberta,
consegui trepar e entrei,
sem precisar de escada.


Mas, logo para a rua saltei
pois, não era a casa certa.
Afinal não era a fechadura,
nem a chave estava torta.


Sua grande cavalgadura,
ponha-se no olho da rua,
Você enganou-se na porta.
Não vê? Esta casa não é sua!


Acorda toda a vizinhança.
Com este grande alvoroço,

.. (continua, De Improviso)

Sem comentários:

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...