quinta-feira, março 29, 2007

Marias de Pessoa


Maria (55)
Maria, se eu te chamar,
Maria, vem cá dizer
Que não podes cá chegar.
Assim te consigo ver.

Maria (126)
Olha o teu leque esquecido!
Olha o teu cabelo solto!
Maria, toma sentido!
Senão, não volto!

Maria (134)
És Maria da Piedade,
Pois te chamaram assim.
Sê lá Maria à vontade,
Mas tem piedade de mim.

Maria (135)
Tu és Maria da Graça,
Mas a que graça é que vem
Ser essa graça a desgraça,
De quem a graça não tem?

Maria (180)
Tu és Maria das Dores,
Tratam-te só por Maria.
Está bem, porque dás as dores
A quem quer que em ti se fia.

Maria (302)
"Mau, Maria!" - tu disseste
Quando a trança te caía.
Qual "Mau, Maria", Maria!
"Má, Maria!" "Má, Maria!"

("Quadras ao Gosto Popular",Fernando Pessoa)

Sem comentários:

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...