quinta-feira, dezembro 15, 2005

Dispenso



Quero dizer que dispenso
O meu escravizado cérebro,
De toda e qualquer actividade.
Está superiormente autorizado
A desligar todas as comunicações
Entre os neurónios e axónios.

Estou constipado.
Escorre água do meu nariz.
Choram os meus olhos.
Já ensopei 3 dúzias de lenços.
Com a cabeça cheia de água
É perigoso pensar muito
Pode dar curto-circuito.

Vou tomar um Cognac,
Uma Aspirina e vou dormir.
Desligo a corrente.
Hoje não penso.

1 comentário:

Anónimo disse...

Bon repos!

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...