sexta-feira, maio 30, 2008

Vistas as coisas

..e posta a situação nestes termos, tenho a dizer que não há mais informação disponível para apresentar adequadamente o que me proponho desenvolver no sentido mais lato do termo ou "lato sensu", que é como se sabe, precisamente o oposto do sentido restrito da palavra, que muitas vezes se utiliza para não querer dizer nada ou dizer muita coisa que não represente algo que valha a pena saber ou perder tempo a ler; se bem que, não se deve considerar como tempo perdido o tempo passado a ler, mas antes tempo gasto, consumido, como sempre repetia o meu velho director do centro de documentação onde trabalhei, de cada vez que alguém lhe dizia que tinha estado a perder tempo lendo os índices da biblioteca à procura de um assunto que não se encontrava disponível no local, tempo esse que podia ter sido utilizado noutra tarefa qualquer mais importante (ou menos) segundo o ponto de vista do interessado no resultado do trabalho em curso.

O tempo não se perde. Se assim fosse, mais tarde ou mais cedo, alguém haveria de o encontrar, algures por aí. Ora, não há memória de que alguém tenha alguma vez achado um bocado de tempo (nem muito nem pouco) perdido no chão da rua.

Muita gente se queixa de perder tempo nos transportes, todos os dias. Mas o facto é que nunca ninguém se lembrou de ir procurar o seu tempo perdido, nas prateleiras dos armazéns de "Perdidos e Achados" da Carris, do Metro ou da CP.

Portanto, conclui-se que nunca se perde tempo. O tempo consome-se, a fazer isto ou aquilo, ou nada.

Ora tudo o que se consome, nesta nossa sociedade capitalista, tem que ser comprado. Consequentemente, alguém terá que vender, mas, já pesquisei na Internet e não consegui encontrar Fornecedores de Tempo.

E já agora, se dizem que somos Consumidores de Tempo, devíamos pdir à DECO a criação de um LIVRO DE RECLAMAÇÕES para registar o tempo gasto, mal consumido, ou mal-passado, como por exêmplo, o tempo que esteve a ler estas tretas aqui, se é que conseguiu arranjar tempo para isso.

obs.:
Não tive tempo para colocar a indispensável imagem neste post - fica para depois.

4 comentários:

Anónimo disse...

NUNCA PERCO TEMPO.como tal....
Ler é um prazer, sempre...
Só depois de ler, posso opinar...
Nos transportes aproveito para descansar, também é preciso.
Quando falo com alguém, ganho conhecimentos, todos aprendemos com todos.
Quando brinco, ganho o amor e o respeito com quem brinco...
Dar e receber tempo, é uma dádiva.
No PC estamos a perder tempo, mas nós que por aqui andamos, sabemos,
que não....
bjinhos
bela
bjinhos

Carla D'elvas disse...

Li tudo!
Aguardo, serenamente, pelo próximo chafariz...
Acalento, secretamente, a esperança de ver aqui retratado o fantástico chafariz do Estoril.

Beijinho... daqui, para aí :)

O Bicho disse...

Carla,
sempre que passo ao Estoril, é de noite, muito de noite - horas pouco adequadas para fotografar Chafarizes.
Mas, vou tentar um dia destes, lá mais para o Verão.

Carla D'elvas disse...

Querido Bicho:


Grata, por tamanha gentileza :)
A fonte luminosa, do Estoril, tem o seu encanto... á noite!

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...