segunda-feira, maio 19, 2008

a Fonte 237


Chafariz do "Zé Garfo".

O homem do garfo, era a alcunha do Neptuno de Tridente em punho que encima o monolito central do chafariz, na Praça da Armada em (Alcântara) Lisboa.
Mais uma fonte da rede municipal das águas livres, do século XIX, abastecida pela Galeria das Necessidades, que trazia água do Aqueduto das Amoreiras.

Por falar em garfo, recordo o restaurante "31 da Armada", mesmo ao lado do chafariz. Durante os meus anos de trabalho (e prazer, 1974/80) na Av. Infante Santo e arredores, almocei e jantei, vezes sem conta nesse lugar (a que chamávamos "Tasca das Manas") com um excelente serviço de cozinha.

Sem comentários:

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...