terça-feira, outubro 20, 2009

o Amarelo


O amarelo da Carris
vai da Alfama à Mouraria,
quem diria.
Vai da Baixa ao Bairro Alto,
trepa à Graça em sobressalto,
sem saber geografia.
[..]
O amarelo da Carris
tem misérias à socapa
que ele tapa.
Tinha bancos de palhinha,
hoje tem cabelos brancos,
e os bancos são de napa.
..
(Ary dos Santos)

2 comentários:

Maria disse...

Bicho:
Que saudades de andar no amarelo!
Qualquer dia vou matar saudades.
Beijo

O Bicho disse...

Bem visto, Maria,
felizmente, viajar no Amarelo pelas ruas da nossa Lisboa é das poucas coisas de antanho da qual ainda podemos facilmente usufruir.
Boa voltinha.

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...