quarta-feira, julho 01, 2009

Uma Vida



Quando cheguei pouco fazia:
Só chorava, comia e dormia.

Depois os anos para recordar:
Aprender, crescer e brincar.

E aquilo que se chama viver:
Com trabalho, amor e prazer.

Agora enfim, o tempo da dor:
Todo o corpo perdeu o fulgor.

Sou a sombra daquilo que fui:
Doi-me tudo, até a alma. Ui, ui!


("coisas da vida", 2009)

1 comentário:

Maria disse...

Bicho:
Estou desinspirada. Vai daí, pedi ao Sebastião da Gama uma ajuda e ele, bom rapaz, ajudou.

Quando eu nasci,
Ficou tudo como estava.
Nem homens cortaram veias,
Nem o Sol escureceu,
Nem houve Estrelas a mais...
Somente,
Esquecida das dores,
A minha Mãe sorriu e agradeceu.
Quando eu nasci,
Não houve nada de novo
Senão eu.
As nuvens não se espantaram,
Não enlouqueceu ninguém...
P'ra que o dia fosse enorme,
Bastava
Toda a ternura que olhava
Nos olhos de minha Mãe...

Sebastião da Gama, Serra-Mãe

Beijinhos

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...