terça-feira, julho 07, 2009

Mais Vida


Esplanada no largo de S. Rafael.
Na noite de Lisboa canta-se o Fado na rua.
A guitarra encanta os ouvintes e na letra do fado passa uma quadra de um poeta mal conhecido da generalidade dos portugueses.
Foi amigo pessoal de Fernando Pessoa.
Nasceu em Abrantes, mas cresceu em Lisboa.
Alfama foi o bairro onde amadureceu e viveu até emigrar para o Brasil, para escapar à descriminação homofóbica de que era vítima em Portugal.
Por causa disso, só regressou a Lisboa depois de morto.
Afirmam que a vida é breve.
Engano... A vida é comprida.
Cabe nela amor eterno
E ainda sobeja vida!


(António Botto)

1 comentário:

Maria disse...

Bicho:
António Botto nasceu antes do tempo. Hoje quem se ralaria com os gostos do poeta?
Conheço-o bem. Meu pai tinha versos dele, belissimos.
Poeta maldito, lhe chamaram. Que gente estúpida! Ainda hoje, há quem não perceba que amor é amor e o resto pouco importa.
Eu gosto muito dos versos dele, como gosto do Ary e de outros.
Não me preocupo nada com o facto de serem homosexuais ou de outro grupo. A obra é que interessa.
Beijinhos

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...