quarta-feira, março 12, 2008

uma aberta


pois... é mesmo assim,
são as coisas desta vida
às vezes dou por mim
num beco sem saída,

encontro uma abertura
vislumbro no horizonte
uma fuga da amargura
a promessa duma ponte

para outra vida, incerta
tal as pedras da calçada
ou há uma porta aberta
acolhendo alma penada

há poesias* para refazer, ou então para apagar, logo, como esta, se calhar, é coisa que vamos ver... acho que não presta.
(*)
poesia, isto?
é força de expressão,
eu estava era a gozar;
são só frases a rimar,
umas sim e umas não.

Sem comentários:

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...