segunda-feira, março 24, 2008

a Grua


Ontem, à saída da estação do Metro na Casa da Música,
guardei, para mostrar aqui, esta imagem acompanhada de uma estranha sensação - uma angústia - que não tem nada a ver com a dita casa nem com a música, que não vem a propósito de coisa nenhuma, mas senti...

Senti uma grande ansiedade, um receio de que, da próxima vez (e já faltam poucos dias) que passar aqui pelo Porto, venha a precisar de uma grua com muita força, para me levantar do chão.

5 comentários:

Anónimo disse...

Que se passa, Bicho? Que lembranças te estão a fazer tão mal? As gruas não teem força para nos levantar desse chão, onde te sentes e por acaso eu também.
Maria

O Bicho disse...

Complicações da vida - vou tentar contar alguma coisa um dia destes - é penoso falar no assunto, mas é preciso.

Carla D'elvas disse...

Partilhar a DOR... ajuda.
Um beijinho, embrulhado... em coragem.

Anónimo disse...

Grande pensamento de amizade.
Coragem!
Cristina

Anónimo disse...

Quem não está em baixo nesta altura
falar alivia, consola, partilhar
doi menos, do que carrega-la só.
O Porto tem a ribeira onde me perco. Fiquei com imensas saudades
bjs
bela

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...