sábado, dezembro 02, 2006

Quentes e boas


O Homem das Castanhas

Quem quer quentes e boas, quentinhas?
A estalarem cinzentas, na brasa.
Quem quer quentes e boas, quentinhas?
Quem compra leva mais calor p'ra casa.

A mágoa que transporta a miséria ambulante,
passeia na cidade o dia inteiro.
É como se empurrasse o Outono diante;
é como se empurrasse o nevoeiro.
Quem sabe a desventura do seu fado?
Quem olha para o homem das castanhas?
Nunca ninguém pensou que ali ao lado
ardem no fogareiro dores tamanhas.

(Ary dos Santos)

1 comentário:

Naeno disse...

Bonito poema, gostei muito. Existem frases soltas que caberiam até uma reflexão isolada como - A mágoa que transporta a miséria ambulantte, muito bonito.

Um abraço

Naeno

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...