quarta-feira, abril 02, 2008

o reverso


(recuperação? da Lisboa antiga - Mouraria)

Os que entendem como eu
a força que tem um verso
reconhecem o que é seu
quando lhes mostro o reverso:

Da fome já não se fala
- é tão vulgar que nos cansa -
mas que dizer de uma bala
num esqueleto de criança?

Do frio não reza a história
- a morte é branda e letal -
mas que dizer da memória
de uma bomba de napalm?

(Ary dos Santos)

1 comentário:

Anónimo disse...

É sempre bom recordar Ary.
Bons tempos quando subia e descia e
me atrevia quase a fazer corridas com os elevadores.
bj
bela

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...