terça-feira, outubro 31, 2006

a Fonte 27



Fonte Santa (Castro Verde)

Quando fores ao Alentejo
Não bebas em Castro Verde.
As fontes cheiram a rosas
E a água não mata a sede.


É o que diz uma moda do "cante alentejano"

E lá fui eu, a correr verificar
se afinal era verdade ou não
o que diz a quadra popular.
- Impossível tirar conclusão!

Pois, só lá encontrei uma fonte
e está fora da cidade, no monte.
A lápide no muro diz que é Santa.
Nem sei, a minha sede era tanta!

3 comentários:

Anónimo disse...

Meu amigo Gi,acho que esta fonte não é digna de estar neste blog,está muito suja e mais parece uma estrumeira,não deve ver agua hà muito tempo.Beijo da Maria

O Bicho disse...

Suja, não, sujíssima, porcaria em todo o redor.
Até parece mentira, com tanta água que por ela corre!?
Mas, dizem que é Santa.
E além disso, a água estava bem lavada - eu vi!!!
A verdade, eu não queria dizer, para não me chamarem Xenófobo, mas acho que o problema está relacionado com os utentes principais - algumas famílias de nómadas que acampam ali nas redondezas.

O Bicho disse...

Mas, esqueçam, tenho ainda Mil Fontes e mais uma, as 1001 Fontes, para publicar.
bem bonitas... quase todas;
e ainda há algumas cuja imagem ainda não encontrei, ando à procura - fonte da sabedoria, fonte da juventude, fonte da vida - são algumas das mais difíceis da coleção.

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...