domingo, julho 01, 2018

Calendas de Julho

Setúbal

Muito bem conservado este interessante exemplar "Bedford" de guindaste (ou grua, ou guincho) dos primórdios do século XX, utilizado na carga e descarga dos navios no porto de Setúbal.
Hoje está no jardim, perto do cais de embarque dos barcos (ferries) que transportam pessoas e carros de e para a península de Tróia - lembro os tempos em que fazíamos esse percurso mais directo para passar o fim de semana no litoral alentejano - Melides, São Torpes, Porto Côvo ou Mil Fontes.
Ao recuperar esta memória das férias grandes de antigamente, ficou por explicar o título do "post".
Não importa já - há coisas que me parecem interessantes num dado momento, mas que depois, passado algum tempo (ou passados alguns pensamentos ou divagações) parece que deixam de ter assim tanta importância, para mim e para outrem...
Porque o tempo não pára!

1 comentário:

M,Franco disse...

Calendas, até me parece uma palavra que caiu em desuso.
Eu acho que é bom ter memórias. Sabemos que temos de
viver o dia a dia no presente, mas isso não impede que
deixemos de ter "saudades" palavra tão portuguesa como
dizem.
Continuação de boas viagens.

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...