quinta-feira, maio 25, 2017

Dia da Espiga


QUINTA FEIRA DA ASCENÇÃO

Fui ao campo para colher as várias flores silvestres, os pezinhos de espiga e os raminhos de oliveira para compor o tradicional raminho do dia da espiga.

E quando deparei com este passaroco (não sei a raça) empenhado nas suas actividades silvícolas, lembrei-me daquela bem conhecida modinha do Cante Alentejano:

Quais, quais, oliveiras, olivais
Pintassilgos, rouxinóis,
Caracóis, bichos móis,
Morcegos, pássaros negros,
Tarambolas, galinholas,
Perdizes e codornizes,
Cartaxos e pardais,
Cucos, milharucos,
Cada vez há mais.


No entanto, culturas de trigo, cevada ou centeio, nos arredores da grande cidade, cada vez há menos!

1 comentário:

M,Franco disse...

E o passaroco até parecia estar a espera de ser fotografado.
Tenho uma vaga ideia desta cantilena.
Haja quem preserve as tradições!

Despertar DCCII

Praia das Maçãs, Sintra Acontece por vezes, após uma noite de mar agitado, com ondas alterosas fustigadas por ventos fortes e sabe-se lá qu...