quarta-feira, setembro 27, 2006

Discorrendo (3)



Se não nos for possível descrever um estado de alma,

podemos sentir um indescritível estado de espírito, impotência, impaciência e por cima de tudo, uma emergente enxurrada de sentimentos de insegurança que inundam todo o espaço do subconsciente,

deixando à superfície apenas um conjunto de destroços, mais ou menos inseguros, instáveis, aos quais nos procuramos agarrar para não naufragar nos profundos, escuros e desconhecidos abismos do insondável - o pensamento humano.

Pois cá para mim, é assim:

  • Penso porque existo!
  • Existo porque penso!

pensem lá bem nisto.

2 comentários:

Anónimo disse...

Logo, existes.
Mas às vezes parece que não.

Sendyourlove disse...

Talvez penses de mais..."olha quem fala"...

Outros Tempos

Miradouro do Mindelo, Praia das Maçãs “Diante da vastidão do tempo e da imensidão do espaço  é uma alegria para mim partilhar uma época e u...