sábado, março 04, 2006

a silhueta



Só por ti aperfeiçoei os meus sentidos
todos externos e internos e aprofundei
para exteriorizar a sensibilidade que
desconhecia cá dentro.

Os meus olhos cansados, revistam
todas as sombras do passado
em movimento rápido para o
entardecer, procurando uma
silhueta, uma luz ou só um
reflexo por outros olhos enviado.

(sentidos sem dono)

Sem comentários:

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...