quarta-feira, março 08, 2006

Mare e Cielo


III
A poco a poco andava fuggendo
dietro di noi la visione delle patrie montagne:
restavano addietro il caro Tago e la fresca giogaia
di Sintra, su cui gli occhi si attardavano.
E restava addietro nella amata terra
il nostro cuore, che la nostalgia là tratteneva.
E quando infine quella visione fu tutta svanita,
non vedemmo altro che mare e cielo.

(Lusíadas - Canto V)

3 comentários:

cristina disse...

O mar e ceu em perfeito harmonia!

Anónimo disse...

Mar e céu e a Maria que tem andado fora dos blogs,ultimamente tenho andado a ler uns livros, coisa que não fazia nem sei quanto tempo.Não morri e estou melhor,mas, ainda não recuperada totalmente,parcialmente é o termo,vai no bom caminho.Ando um pouco aborrecida e hoje fiz a descarga total na étar,tens muito para ler e comentar ,é que o bicho também é egoista,só gosta do nosso comentário e ele nada, fica mudo.
VIVA O BENFICA Beijinhos

O Bicho disse...

Maria, ainda há pouco, durante o almoço com os outros 3 Malucos da Infante Santo, falavamos em ti:
- e eu disse, "a Maria desde que foi Avó, graças a Deus (e à Inês) está contente, feliz, ocupada a mudar as fraldas à Sofia Flor e não diz nada no Blog".
Isso pensava eu sinceramente.
Afinal, não é bem assim?

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...