domingo, março 12, 2006

monologamia IV


[ensaios IV]

Confessa-te lá, mas aqui só para nós, vá diz,não receies, por mim não te envergonhes, não digo a ninguém; minto, digo, isso digo, vou dizer para ti, de mim, sim senhor, aqui já não há lugar para mais ninguém, não há fuga possível, já é tempo, faz-se tarde, e depois é de mais.
Voltamos a encontrar-nos e vamos desta vez aproveitar decerto a última vez e oportunidade de conseguir comunicar sem reservas, sem esconder nada do que parece mal.

Sem comentários:

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...