sexta-feira, março 17, 2006

monologamia VII


[ensaios VII]

Quando choro, fico bem comigo mesmo, isso é verdade, mas depois não resolve nada até que se vai acumulando todo o não sei quê (rancor, amargura, ódio?) que em amalgamado de dúvidas é como um montão de tremoços que cai dentro do estômago.
Faz-me ficar parado, nervoso por todo o lado, sem vontade de ter vontade (a minha vontade era matar-te, não tanto, mas de qualquer modo sinto que vontade não é palavra do meu agrado, parece mesmo que não soa muito mal - aversão) - verdade; sim é e não valia a pena dizê-lo àparte.

4 comentários:

Anónimo disse...

Isso acontece,quando estamos a precisar de colo,sentir alguém a aperta-nos num abraço quase a perder a respiração,é de um alivio o pior é encontrar a pessoa certa tem que ter um magnetismo que ligue com o nosso para resultar a cem por cento.Experimenta,é uma coisa maravilhosa.Beijinhos da MARIA

Anónimo disse...

Obrigada pelos amores perfeitos mesmo murchos são lindos,Tenho que comprar para o meu jardim,mas, não tenho sorte ficam feios e melados,não se dão por estas bandas.Bom fim de semana e beijinhos da Maria.

Quim disse...

Está um mimo este mini-jardim à beira de mim plantado.

Anónimo disse...

Vais ficar lixado o benfica etá a perder, grande merda que ele é.Deviam ter treinado mais,pois nem sempre os maus são assim tão maus,por vezes aproveitam as fraquezas dos outros para se salientarem.Podem ser maus ,mas, não são burros.Esquece é apenas um clube existem coisas muito melhores para serem admiradas.Beijinho da Maria

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...