domingo, junho 17, 2018

A Fonte 716


Praça de Cervantes (Santiago de Compostela, Galícia)

A coluna da fonte é encimada pelo busto de Miguel Cervantes de Saavedra, o autor de "D. Quijote de la Mancha".
Na Baixa Idade Média (século XII) este lugar era o ponto de reunião popular onde o pregoeiro lia as posturas municipais e as ordenanças do Arcebispado.
No fundo da praça, à esquerda, lá está a "Casa Manolo - a cien pasos da Catedral, comida tradicional gallega, com doce platos primeros y doce segundos, abundantes y a buen precio!"
Para mim, o especial do dia - duas postas de "merluza a la plancha".

sábado, junho 16, 2018

Amanhecer DCIV


Santiago de Compostela (Galícia, España)

Um belo momento de descanso aproveitando a sombra de um centenário eucalipto, no "Passeio da Ferradura", com vista invejável sobre o complexo da imponente Catedral e os vetustos edifícios que a rodeiam.
Depois de uma noite agitada, bem vivida, bem recheada, ou melhor, entremeada com momentos de imensa alegria dificilmente contida e outros de desânimo mal disfarçado, consoante os golos de uma e outra das selecções de futebol de Portugal e Espanha.

sexta-feira, junho 15, 2018

A Fonte 715



"Fonte dos Cabalos" (Santiago de Compostela, Galícia)
Uma das fontes mais fotografadas da Europa, logo depois da imponente "Fontana de Trevi" em Roma e da insignificante "Manneken Pis" em Bruxelas.
Este ponto de passagem e paragem obrigatório para quem pretende visitar a Catedral, pois situa-se no largo onde se está a única porta de entrada actualmente em serviço, devido às obras de restauro da Igreja dedicada ao Apóstolo São Tiago Maior.
Chegámos pelas 7 horas da tarde (hora local) - momento ideal para entrar na Catedral, sem ter que aguardar numa interminável fila de turistas, não peregrinos, que é habitual existir durante quase todo o dia.
Já podemos entrar sem esperar, há muito pouca gente na rua:

  • muitos já estão na Igreja aguardando a celebração da última Missa do dia (7:30) para assistir em directo ao balancear do imenso "Botafumeiro";
  • muitos mais já se encontram nos bares e bodegas e restaurantes, a beber e comer e mais beber, aguardando a hora do grande desafio de futebol Portugal-Espanha.



quinta-feira, junho 14, 2018

Quinta feira sempre


Barcelos

Fim de tarde na cidade do norte de Portugal que eu mais gosto.
Cheguei eu e estão a chegar as diversas "carrinhas" carregadas com a mercadoria para vender amanhã.
Em  todo o largo recinto da feira, já se ouvem os martelos a bater nos ferros que vão servir para segurar as tendas dos feirantes.
Daqui a algumas horas começa o grande bulício que tem lugar no centro da cidade, todas as semanas.
E eu cá estou mais uma vez e, só gostava que não fosse a última.


quarta-feira, junho 13, 2018

Mouraria pois....quem sabe

Miradouro da Graça, visto da Mouraria (Lisboa)

Depois de alguns kms de caminhada (algumas sandes entremeada e muitos copos de cerveja)  percorrendo os diversos "arraiais" de Santos Populares de Lisboa, cheguei à Mouraria e... não gostei!
Ponto final.
De tal modo que voltei (voltámos) para casa mais cedo, eram só 4 da madrugada.

terça-feira, junho 12, 2018

A Porta Aberta


Castelo do Magriço, Penedono

Ao rever as fotografias da minha mais recente passagem por terras da Beira Alta, esta chamou-me a atenção - quando visitei o castelo do Penedono, deixei a porta aberta!

Ora, isto faz-me lembrar uma coisa que é comum a todos os castelos de Portugal - em quase todos existe uma "Porta da Traição", na maioria das vezes uma "poterna".

Ó diabo! Um dia destes tenho que lá voltar para fechar a porta, depois de verificar se está tudo no sítio, não vá o "diabo tecê-las" e falte alguma pedra nas muralhas - pedras, é tudo o que resta, e mesmo assim, ao longo dos tempos, elas elas foram sendo desviadas daqui para outras construções onde segundo as opiniões de então, elas tinham mais utilidade...


segunda-feira, junho 11, 2018

A Fonte 714


Largo do Palácio da Vila, Sintra

Um dia sem obrigações, sem objectivos traçados, parei aqui por acaso numa passeata sem destino e sem pressas.
De repente fiquei a pensar, "Como é possível, eu nunca ter visitado o interior deste palácio?"
Pois... aqui tão perto de casa, um monumento nacional que é - segundo as estatísticas - o Palácio Real mais visitado em Portugal.
Mas ainda não vai ser hoje que vou entrar; não me apetece ser turista; estou numa de descanso, a "estagiar" para a noite de St. António que se avizinha.

domingo, junho 10, 2018

Agora me lembro


Ao rever este vídeo ( https://arquivos.rtp.pt/conteudos/camoes/ ) do Arquivo Histórico da RTP, gravado há precisamente 46 anos... fiquei espantado:
Logo após o "slide" de abertura com a respectiva banda sonora, aparece na imagem o Professor consultando despreocupadamente um livro.
Nos 10 segundos imediatos, ouve-se claramente o som de estalar dos dedos (4 x "clac") - era o sinal do operador de câmara, chamando a atenção do distraído Professor para dar início à palestra, pois já tinha começado a gravação do programa.

O curioso disto é que o operador era, Eu mesmo, então um jovem aprendiz, em serviço nos Estúdios do Lumiar da "nossa" Radio Televisão Portuguesa e nunca, até hoje, tinha prestado atenção ao som desta gravação.
Devo acrescentar que, naquele tempo, ao ser detectado um erro destes poderia dar lugar a uma repreensão escrita e registada no cadastro do trabalhador.

sábado, junho 09, 2018

Amanhecer DCIII


Ponte das Tês Entradas (Sta. Ovaia, Oliv. do Hospital)

Santa Ovaia - engracei com o nome desta freguesia.
E porque gostei muito da minha recente estadia neste lugar, fica prometido voltar - aceitando o convite - logo, logo que o tempo estabilize e retome as características típicas de primavera-verão, deixando o cariz outonal que tem dominado os últimos dias.

Por agora, estamos de regresso a casa, descendo mais uma vez o vale do Alva rumo a sudoeste. Até à volta!


sexta-feira, junho 08, 2018

A Fonte 713


É mais uma...

Subindo o vale da Ribeira de Piódão, vindo de Vide, logo após o "Santuário do Xantia", antes do lugar de "Coice de Eira" (que toponímias curiosas), parei pela enésima vez para apreciar calmamente a paisagem do profundo vale e... logo ali perto de mim, do outro lado da estrada, meio encoberta pela vegetação que este ano cresceu bastante, lá estava ela, uma fonte, mais uma, com água.

E pronto, está tudo dito; é assim, quando não tenho tempo para escrever ou quando não consigo concentrar-me para explanar com jeito, uma das muitas ideias que me acorrem à mente inquieta.


quinta-feira, junho 07, 2018

Coisas da Flora


"Umbillicus Rupestris"

Assenta-lhe bem a designação científica desta plantinha silvestre.
Dos diversos nomes comuns, o mais engraçado é "Umbigo de Vénus".
Encontra-se em muitos lugares pedregosos e húmidos - muros de pedra, nichos de rochas, telhados e troncos de árvores - nos vales e serranias da Europa, como no caso desta imagem que captei na parede de xisto de uma velha casa.
Diziam antigamente que tinha propriedades medicinais - de entre outras, destacam-se os "cataplasmas" de folhas esmagadas, que eram aplicados sobre as feridas, queimaduras, frieiras, etc.
Mas porque é que eu sei destas coisas que não fazem parte da minha área de formação.
Podia, mas não sou um botânico amador - não tenho toda esta informação "classificada e arrumada" nos compartimentos da minha memória.
Simplesmente, instalei uma "app" no meu "smartphone" que pesquisa na "net" toda a informação acerca de uma planta, através de uma fotografia da planta ou apenas da sua flor ou da folha.
Modernices que dão jeito...

A Fonte 716

Praça de Cervantes (Santiago de Compostela, Galícia) A coluna da fonte é encimada pelo busto de Miguel Cervantes de Saavedra, o autor d...