terça-feira, fevereiro 21, 2006

o Moinho


(entre o Magoito e Fontanelas)

O tempo é um moinho de vento.
As horas são as pás que passam
(para D. Quixote foram gigantes)
sobre a nossa cabeça e ameaçam:
- nada jamais será como dantes!
Por isso é preciso estar atento.

(LGM, Fev. 2006)

1 comentário:

cristina disse...

adorei sempre este moinho!

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...