quarta-feira, fevereiro 22, 2006

a Eternidade


(foz do Tejo)

Se eu não morresse, nunca! E eternamente
buscasse e conseguisse a perfeição das coisas!

(Cesário Verde)

2 comentários:

cristina disse...

Saudade, saudade, et entao saudade.

Anónimo disse...

Serias DEUS MARIA

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...