terça-feira, fevereiro 21, 2006

a Lenha


(Colares e a Serra de Sintra)

Essa lenha pobre e seca,
Que se entrega com bondade,
É sugestão do caminho
E exemplifica a humildade.

Já pensaste em seu passado?
Um lenho seco... que era?
Talvez o galho mais lindo
Dos dias da primavera.

No entanto, missão de auxílio,
Com santa resignação,
Não se nega a cooperar
Nas máquinas a carvão.

(original em Esperanto)

Sem comentários:

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...