quinta-feira, fevereiro 23, 2006

a despedida



Em tempos que já lá vão
nós dois unidos num só
fizemos o milagre da vida
passámos então a ser três

Depois, aumentando a união
ficámos de novo como só um
e dez anos assim passaram
o tempo todo só para sentir
nem pensar nem reflectir.

Nada se sobrepõe ao instinto
do que toda gente sabe fazer
e aquele perfeito três em um
logo, logo passou para quatro.

Desfeita a contagem primordial
como diz o povo na sua sabedoria
"Três foi a conta que Deus fez"
e foi assim que a união se desfez.

Mas outros tempos hão-de vir
por isso vamos tentar de novo.
É a hora de alguém partir, eu!
Os mais velhos dão o exemplo.

3 comentários:

Anónimo disse...

Porque será que quando a vida se transforma,por vezes para pior,somos abandonados como cães, devido ao egoísmo e materialismo a que este século transformou o ser húmano.Um dia será a vez deles chegarem à triste conclusão que a vida afinal é uma mistura de tudo e que todos precisamos uns dos outros.Eu sei o que sentes,pois algumas vezes a vontade de desaparecer era grande,mas, felizmente que tive sempre paciência para esperar dias melhores e não estou arrependida.Beijinhos

O Bicho disse...

eu hei-de ir, hei-de ir, um dia eu vou, mas quem sabe, talvez volte...

Anónimo disse...

Talvwz, é palavra proíbida.

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...