sexta-feira, fevereiro 03, 2006

gosto de mar



Gosto de barcos, gosto do mar,
gosto de fotografar, fixar e rever
as imagens, as curvas das ondas,
o recorte na linha do horizonte,
as chaminés, os mastros, as velas,
das silhuetas que transportam vida
sobre as águas, ou a morte afogada
em salgada água ou em negro alcatrão.

Gosto dos rios, ainda mais que tudo,
gosto de subir às nascentes e partir
percorrendo na descida até à foz
aldeias, vilas e cidades à beira-rio.
Depois, chegar ao mar e esquecer
a terra, a fonte, a serra, o monte
e ficar a olhar o infinito horizonte
onde o magnífico sol vai esmorecer.

(poesia livre, sem dono, sem rima, sem métrica, com sentido, eu escrevi)

1 comentário:

Anónimo disse...

Gosto mais de ler os teus pensamentos,sem dono,sem rima,é sinal que o teu intelecto está ocupado e não dispara setas de palavras sem nexo,e com revolta de já não conseguires travar o teu envelhecimento,todas as idades têm a sua ternura porque a vida só é insignificante se não está inspirada por uma vontade indomável de superares os limites.Tens que continuar a travar esta batalha,mas com um grande sorriso,faz ver a ti próprio que os teus limites são infinitos.Beijinhos da Maria Bom fim de semana.

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...