sexta-feira, junho 30, 2006

vou abrir


Batem à porta.
Batem leve...
levemente, apenas
o que é suficiente
para eu ouvir
e é quanto basta
para eu abrir.
Vou abrir de mansinho,
espreitar para fora,
deixar entrar os sons
e principalmente o ar.
O calor, é fundamental.

1 comentário:

Anónimo disse...

Gi tu como todos nós gostas de ser amado,adorado,afagado,apertado e principalmente com grande intensidade,mas, por vezes não gostas de retribuír,e isso é mau,não devemos chamar a atenção dos outros só porque não és capaz de caminhar sózinho.Na verdade tu nunca estiveste fechado,és sempre um livro aberto,é preciso é muita paciência para ser amigo de alguém como tu,mas, tu tens sorte que tens muitos, eu que também sofro do mesmo mal infelizmente não temho praticamentos amigos e descobri com a minha neta que sendo uma pessoa alegre sou muito triste,e aqui está o porquê da falta de amizades, eles fogem de pessoas como nós,estamos sempre a pensar no mesmo,se todos fossem assim o mundo parava, se alguém souber a forma para este mal agradeço a receita.Maria

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...