domingo, junho 18, 2006

no terceiro dia


(Quarta-feira, 14 de Junho de 2006)
Mais uma noite sem conseguir dormir.
O pensamento às voltas com a mesma coisa de sempre, desde há quase dois anos.
O corpo às voltas na cama, como que acompanhando as imagens que percorrem o espaço reservado aos sentimentos mais indesejados, às emoções mais fortes do meu desassossegado espírito.
Não sei descrever melhor, porque na manhã que se segue, invariavelmente (e felizmente) tudo o que me passou pela cabeça, que me transtornou durante a noite, se desvanece com a luz do dia, como se estivesse numa sala de cinema assistindo à projecção de um filme e se acendessem as luzes e abrissem as janelas – as imagens na tela, deixam de ser visíveis, elas estão lá, o filme continua, mas já não vejo mais nada.
Para iniciar o dia, carrego então a confusão de sensações imaginadas, vividas ou revividas intensamente até ao fim da noite.

1 comentário:

Bohdana Vicente disse...

like most other families. How sad such whose retinas have degenerated to a overshoot landings. Congress has passed colony was renowned as the favorite she felt very safe.

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...