segunda-feira, abril 03, 2006

monologamia final


[ensaio final]
A luta vem daí da parte que se incompatibiliza com a outra parte de mim que não presta. Conflito, palavra bonita. Chave. Volto ao subconsciente. Espaço, preciso de espaço. Talvez agora perceba que é espaço exterior a mim para desencadear aí as lutas do meu conflito destas duas minhas duas partes.
Mas como posso eu agora estar a fazer de terceiro e dizer da verdade das duas partes e ao mesmo tempo do resultado ou da ligação ou ponto de união ou ponto de divergência comum, ou secalhar não é comum e daí o desequilíbrio permanente, ou quase.
Já sei, a isto chamaram em tempos introspecção, da mais pura. É algo que não se explica, como o submarino amarelo dos Beattles, do monstro que se devora a si mesmo ou podemos por as coisas às avessas, do outro que se vomita a si mesmo, todos por completo até ficar nada.
De um modo ou de outro o resultado parece ser zero. Mas agora que estava interessante o monólogo começo a ficar cansado, disso não tenho dúvida já. Pelo menos uma coisa consigo assim arranjar e é uma certeza a que me agarro, mas por outro lado..?

(acerca disto, só sei que foi escrito "ao correr da pena", com muito poucas rasuras, sem nenhuma preocupação de forma, com uma caneta de tinta permanente azul, em folhas de papel quadriculado numeradas de 1 a 6 - se teve ou era para ter continuação, não me lembro; quando escrevi, não sei; porque escrevi, não faço ideia; para quem foi escrito, não imagino).
É tudo, não há mais folhas de papel manuscritas - ainda bem porque se acabaram as flores amores-perfeitos.

2 comentários:

sendyourlove disse...

Concientemente ou não todos temos estes dois "eus"...que se debatem a maior parte do tempo, numa luta que desgasta, mas que nos faz sentir vivos...
Adorei o ensaio
Beta

Anónimo disse...

Podes continuar a escrever e a mandar flores,tenho pena de não escrever,mas,ando de rastos a miúda dá que fazer a meia dúzia,quer estar sempre a ouvir as caixas de música e quando acaba chora para pedir mais nunca vi um pivete de 1 mês a fazer coisas como rir, brincar com bonecos e eu sei lá que mais.Eu venho aqui todos os dias ver o que escreves,mas, já tenho adormecido em cima do computador.Beijinhos e boas férias Maria

Amanhecer DLVIII

COVILHÃ Correndo pelo vale do alto Zêzere Já chegámos? O quê! Ainda não? Então vou dormir mais um bocadinho...