quarta-feira, janeiro 11, 2012

a fonte 601


Chafariz do Rossio de S. Brás (ÉVORA)

Na segunda terça-feira de cada mês, são as carrinhas e as tendas dos feirantes que abancam em redor do chafariz.
Durante os restantes dias do ano, são os comuns automóveis particulares que ocupam todo o espaço do Rossio, o terreiro de feiras da cidade.
São contraditórias as informações acerca da construção deste monumento de arquitectura civil.
Há registos da permissão concedida por D. Manuel I a um munícipe para a construção de um poço no Rossio em 1497, posteriormente transformado em chafariz público em 1501. Outras informações apontam para o ano de 1592, a mando de D. Filipe II.

Seja como for, "nem água vai, nem água vem" das bicas deste monumento que
«se encontra em processo de classificação como Imóvel de Interesse Público, desde 2007 integrado no conjunto de fontes e chafarizes, urbanos e peri-urbanos de Évora, este é um chafariz com figurações maneiristas, patentes na estilização dos elementos arquitectónicos, com notáveis características ornamentais, de que é exemplo a taça com original desenho em forma de cálice de flor.»

Sem comentários:

De pedra e cal

Alandroal O meu caminho passa novamente pela vila dos "aloendros", os quais, apesar de já ser primavera, ainda não estão flori...