terça-feira, outubro 31, 2006

a Palavra



(Ermida de S. Pedro das Cabeças - Baixo Alentejo)

a Fonte 27


(Fonte Santa, Castro Verde)

Quando fores ao Alentejo
Não bebas em Castro Verde.
As fontes cheiram a rosas
E a água não mata a sede.


E lá fui eu, a correr verificar
se afinal era verdade ou não
o que diz a quadra popular.
- Impossível tirar conclusão!

Pois, só lá encontrei uma fonte
e está fora da cidade, no monte.
A lápide no muro diz que é Santa.

Nem sei, a minha sede era tanta!

segunda-feira, outubro 30, 2006

desatino


(Locomotiva - Minas de Aljustrel)

estou a pensar fazer um blog clandestino,
ele assim a modos que transparente,
ou como se fosse quase invisível,
de uma tal maneira discreto,
que ninguém se aperceba,
que ninguém descubra,
que ninguém conheça,
que ninguém saiba,
que ninguém veja,
que ninguém leia.
..

domingo, outubro 29, 2006

Autoretrato 14



Lá ao fundo, é Castro Verde que se avista.

O fotociclista anda em viagem.
Pelas planícies alentejanas.

Em demanda de novas fontes.
Outras cores em diferentes amanheceres.

sábado, outubro 28, 2006

Amanhecer XXXIII



Em Colares, sábado de manhã muito cedo,
tão cedo ainda que ainda parece ser noite,
na passagem pela porta da Quinta Maziotti.

sexta-feira, outubro 27, 2006

Pindamonhangamba (1)



Berta Celeste Homem de Mello

Iustre Pindamonhangambalense ou Pindamonhangambadolense, não sei qual a designação correcta para os nativos desta cidade do Brasil, cujo nome significa, na língua dos Índios, lugar onde se fabricam anzóis.

Esta Farmaceutica, Professora e Poetisa, venceu em 1941 um concurso na Radio Nacional para a composição da letra em português do "Happy Birthday to You", "Parabéns a Você".

Nunca imaginei, não me passava pela cabeça, que as palavras da música mais cantada no mundo, fossem da autoria de uma Dona Berta; e muito menos que a autora fosse natural de uma remota cidade brasileira com um tão curioso nome!!!

Musical Euterpe



CORPORAÇÃO MUSICAL EUTERPE

(toca desde 22-08-1825, em Pindamonhangaba, São Paulo, Brasil)

Nunca interrompeu sua atividade, desde a fundação por João Pimenta, há 180 anos. Conta com a garra e dedicação de seus músicos e com o apoio inestimável da Prefeitura Municipal Pindamonhangabalense através de seu prefeito Vito Ardito Lerário.

A corporação atua nos principais eventos da cidade como procissões, atos cívicos, retretas na praça, apresentações em escolas onde realiza concertos didáticos, centros comunitários e cidades da região Paraibana e do Brasil.

Passou por momentos difíceis, atravessou muitos obstáculos impingidos pela época; mas em 1954 foi reorganizada por seu presidente Major Mário Aguinelo Lacerda que contagiou a corporação com sua musicalidade.

A corporação faz parte da história de Pindamonhangaba e do Brasil tendo se apresentado até para o Imperador do Brasil Dom Pedro II, na cidade de Niterói.

quinta-feira, outubro 26, 2006

a Fonte 26



Porque hoje é quinta-feira e
porque viemos ouvir a Fanfarra Holandesa,
Veio mesmo a calhar, esta expressiva fonte de Amsterdão,
que se encontra no conhecidíssimo Bairro Típico,
onde o Pessoal da Porcalhota, de visita à cidade,
em Maio de 1988, foi matar a sede, pela noite dentro.

Fanfare Euterpe



FANFARE EUTERPE GRAVENMOER

(desde Novembro 1905, em Gravenmoer, Noord-Brabant, Holanda)

Fanfare Euterpe is opgericht in november 1905 en bestaat dit jaar dus 101 jaar.
Euterpe bestaat op dit moment uit 32 musicerende leden in de leeftijd van 12 t/m 72 jaar.
Daarnaast zijn er ook nog leerlingen in opleiding die les krijgen van Ruud van den Bogaert die sinds 1998 de dirigent van onze enthousiaste vereniging is.
Euterpe komt uit in de 5de divisie van de KNFM (voorheen 2de afdeling).

(*) não tive tempo para traduzir, mas também não é preciso; já se sabe, é o trivial nestas coisas de Bandas, esta como muitas outras:

  • festejou o ano passado o seu Centenário
  • o mais novo dos 32 músicos tem 12 anos
  • o músico mais velho tem 72 anos
  • e etc.

quarta-feira, outubro 25, 2006

a Fonte 25



Uma fonte no Baixo Tirol Italiano
subindo para Cortina d'Ampezo
outra Província perto de Bolzano
no fundo, os Dolomites em peso.

Orchestra Euterpe



ORCHESTRA MANDOLINISTICA EUTERPE

(sonando dopo 1947, a Bolzano, Trentino, Itália)

Il Circolo Mandolinistico Euterpe, la cui emanazione diretta è l'Orchestra mandolinistica, è stato fondato nel 1947, per iniziativa del compianto Giovanni Ferrari e con la partecipazione di pochi volenterosi appassionati della musica a plettro. É l’unica orchestra a plettro nella Regione Trentino-Alto Adige.

Chi è Euterpe?

Dalla cultura greca Euterpe è la Musa della Musica e della Lirica poetica, una delle nove muse di Apollo.
Nata da Giove e da Mnemosyne, dea della memoria. É anche la musa della gioia e del piacere. Il suo nome significa colei che sa piacere.
É rappresentata come una donzella coronata di fiori che suona il flauto, del quale è considerata l'inventrice.

as Alminhas



Alminhas da Carrapichana

A Carrapichana, existe mesmo - é uma terrinha da Beira Alta.

De acordo com a tradição, esta terra deve o seu nome a uma senhora, chamada Ana, figura típica bem conhecida na Carrapichana e arredores por causa da sua voz aguda, do forte corpanzil e por ser grande apreciadora de vinho.
Ela não se ficava atrás dos homens no que tocava a beber - emborcava de uma vez só, qualquer copo de vinho que lhe oferecessem.
Ao darem-lhe um copo de vinho a beber, os homens incentivavam-na dizendo:
- Escorropicha esse, Ana!
Com o tempo aquele lugar passou a designar-se Carrapichana, por por evolução (via erudita) do termo "Escarrapicha, Ana!"

terça-feira, outubro 24, 2006

a Fonte 24



Aldeia do Penedo (Sintra)

Esfalfado da subida até ao Penedo
Para ver, da Tuna Euterpe, a Sede;
Aproveito, não é tarde nem é cedo,
Vou aqui no chafariz matar a sede.

(Poetista,2006)

Tuna Euterpe



TUNA EUTERPE UNIÃO PENEDENSE

(sempre a tocar desde 18 de Outbro de 1925, em Penedo, Sintra, Portugal)

Euterpe, o que é?

Na cultura Grega, Euterpe é a Musa da da Música e da poesia lírica.
Uma das nove musas de Apolo. Nasceu de Zeus e Mnemosyne (Deusa da Memória).
Ela é também a Musa da Alegria e do Prazer. O seu nome significa "aquela que dá prazer".
É representada por uma donzela com uma coroa de flores, tocando uma Flauta, cuja invenção lhe foi atribuída.

segunda-feira, outubro 23, 2006

a Fonte 23



Entre a serra e o mar há uma aldeia,
a que o povo saloio chama Gouveia.
Mais conhecida por, Aldeia em Verso
e que como tudo, tem o seu reverso.

Lá encontramos o Poço do Rocio,
cheio de água, mesmo no Verão;
só que, está podre, cheira mal.
Quem dela beber, que arrepio,
se não for direitinho p'ró caixão,
vai logo de charola p'ró hospital.

(Poetista, 2006)

domingo, outubro 22, 2006

a Rosamaria

Rosamaria

Tu lengua,
pececillo inquieto en mi rostro.
Tu boca,
ostra que juega con mis labios.
Tu piel,
arena ardiente sobre mi cuerpo todo.
Tu voz,
canto de sirena que me llama y espera.
Mi piel y mi alma responden
pero tú, sirena mía,
te esfumas con el sol
al bajar la marea.

(Amparo Jimenez)

sábado, outubro 21, 2006

quinta-feira, outubro 19, 2006

a Fonte 22



Fonte das Piçarras - Caneças.

A água desta fonte é ferrada, e sai de piçarras, ou pedra branda, sem se levantar da terra. Já de tempos antigos, os trabalhadores se abstinham de a beber, por lhes fazer fome.

Esta fonte das Piçarras
Tem utilidade e graça
Está entre três caminhos
E mata a sede a quem passa

Também na Porcalhota havia (no meu tempo) o Rio das Piçarras, um límpido regato que nascia verdadeiramente da pedra, numa Mãe de Água localizada na encosta da Serra do Marco e que descia todo o vale até à Venda Nova, passando por dentro da Quinta do Estado.

o Sino



Ó sino da minha aldeia
Dolente na tarde calma
Cada tua badalada
Soa dentro de minh'alma
e é tão lento o teu soar
Tão como triste da vida
Que já a primeira pancada
Tem o som de repetida

Por mais que me tanjas perto
Quando passo sempre errante
És para mim como um sonho
Soas-me na alma distante
A cada pancada tua
Vibrante no céu aberto
Sinto mais longe o passado
Sinto a saudade mais perto


(Fernando Pessoa)

quarta-feira, outubro 18, 2006

a Fonte 21



Chafariz d'el Rei (Alfama - Lisboa)

Século XIII.
A água puríssima, nascia quente, passava por minerais de salitre e enxofre e ao ar arrefecia rapidamente. Abastecia a população e as armadas que saíam do Tejo a caminho das terras de além-mar.

No século XVII,
era um chafariz muito concorrido e devido às constantes cenas de pancadaria que ali se davam por causa da escolha da bica, foi determinado, por postura camarária, quem seriam os utilizadores de cada uma das seis bicas:

  • a 1ª era utilizada pelos homens de cor - pretos, mulatos, índios;
  • a 2ª pelos homens das galés;
  • a 3ª e a 4ª pelas mulheres pretas, mulatas e índias;
  • a 5ª e a 6ª por mulheres e moças brancas.

o Marinheiro



Carta do Marinheiro

Ai, o amor quando nos toca
é como se tocasse um sino,
um hino,
um trino
dum alegre passarinho

Vou voar para o teu ninho
vou tentar fazer o pino
vou ser bailarino
argentino,
desatino

Mas o que hei-de eu fazer?
O amor é um furacão
desgovernando
a minha embarcação

(Sérgio Godinho)

terça-feira, outubro 17, 2006

a Fonte 20



(Alfama - Lisboa)

Fonte do Poeta

Nesta fonte que fala na surdina
De qualquer coisa que eu não sei
Matei agora mesmo a minha sede
E sentei-me ao pé dela a descançar

Não havia no ar mais do que a luz
finíssima da tarde num adeus...
Uma luz moribunda e solitária
A despedir-se frágil pelos ceus.

E à medida que a luz se diluía
Nas sombras que nasciam lentamente
A fonte no silêncio mais se ouvia
Mais límpida, mais pura e mais presente...

Anoiteceu. Ninguém só a voz dela
Só essa voz... ao longe num desmaio.
O timbre vivo e pálido de um grito.
Levantei-me, deixei-a tristemente
Acendeu-se uma estrela no infinito.

António Botto

segunda-feira, outubro 16, 2006

a Fome



Rap Alentejano

É uma historia pequenina, é um conto que só eu sei
Chateei-me com a Balbina, ai que fome que eu passei
É daquelas que um home não tem nada p'ra esconder
Levanto-me sempre com fome, só me apetece comer
Apanhei uma bebedeira, fui p'ra casa "vezes dois"
Nã gostou da brincadeira, pôs-me a dormir com os bois
Mas ainda antes disso, aturei-lhe a arrelia
Fugi eu com o chouriço, e com a barriga vazia.

(Quim Tonho)

domingo, outubro 15, 2006

a Fonte 19



Chama-se Fonte de Melides.

Mas não se encontra no lugar do litoral Alentejano que tem esse nome;
longe disso, fica bem no centro de Colares, um lugar do litoral de Sintra.

sábado, outubro 14, 2006

Amanhecer XXXI


Ora bem..

claro que não podia passar sem mais uma imagem de Sábado de manhã em Colares;

cá estamos então, desta vez fixando os intensos reflexos, do sol matinal,
na lustrosa pintura vermelha do Carro dos Bombeiros.

sexta-feira, outubro 13, 2006

Naufragar



História Trágico-Marítima

Ao outro dia, e depois que amanheceu, estava toda a praia cheia de coisas preciosas numa confusa ordem com que a desaventura tinha tudo aquilo ordenado. E havia gente na fralda do mar com vista espalhada pelas praias e arrecifes porque em saindo o sol, o abrandou de sua fúria e braveza..


Tenho tão avorrecida
todarte de marear,
que nesta minha vida,
nam ey nela dentrar.

(Garcia de Resende)

quinta-feira, outubro 12, 2006

a Fonte 18



"ÁGUA IMPRÓPRIA PARA CONSUMO"

lêde o que reza, senhores, lêde
a lápide de pedra na parede
ali perto de Loures, no Chafariz Real
do Aqueduto de Santo Antão do Tojal.

o(utro) mundo



Cada vez que nasce uma criança,
No mundo renasce a esperança
De acabar com a desigualdade,
De que fala o poeta da verdade:

(António Aleixo)

A rica tem nome fino
A pobre tem nome grosso
A rica teve um menino
A pobre pariu um moço.

quarta-feira, outubro 11, 2006

la Fontoj 17



Envias mi ne la mastrojn
de jungoj kaj bienmontoj;
envias mi nur trinkantojn
de l’akvo el ĉiuj fontoj!

a Pousada


(Pousada D. Maria I - Queluz)

Se eu gostasse de "pousar"
nas relíquias da hotelaria,
que são as Pousadas Nacionais,
esta, seria provavelmente
a única onde eu poderia ir
porque tem estacionamento
para a bicicleta do fotociclista.

terça-feira, outubro 10, 2006

a Fonte 16



(Moura, Cidade no Alentejo)

Não me invejo de quem tem
Carros, parelhas e montes;
Só me invejo de quem bebe
A água em todas as fontes!

o Tejo



Tejo rio da Espanha e Portugal
Tejo de Toledo e Lisboa capital.

Rio Tejo de belas histórias
Escritas com lutas e glórias.

Daqui saíram as caravelas em busca de vitórias;
Aqui regressaram as naus carregadas de memórias.

Na margem do rio vejo
Uma Lisboa do passado.
A cidade namora com o Tejo
Companheiro bem e mal amado.

O Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia.
Mas porque a minha aldeia é Lisboa,
O Tejo é o mais belo rio que corre pela minha aldeia.

(rimas desnorteadas e
baralhação de um resto de poema de Alberto Caeiro)

sábado, outubro 07, 2006

Amanhecer XXX



Amanhecer diferente, hoje não estamos na Várzea de Colares.

É um Sábado na Várzea de Óbidos, onde sobressai o imponente
monumento setecentista - Igreja do Senhor Jesus da Pedra.

a Fonte 14


(Óbidos)

Que grande chafariz Real,
Junto à muralha do Castelo.
Não tem água, não faz mal,
Mesmo assim é muito belo.

il Mondo



Ogni volta que nasce un bambino, il mondo ricomincia.

quinta-feira, outubro 05, 2006

a Fonte 12



Nesta artística fonte do largo

do Palácio Nacional de Queluz,

existe um letreiro que

    • não diz - quando foi construída,
    • nem diz - quem foi o arquitecto;
    • mas diz - PROIBIDO LAVAR AUTOMÓVEIS!

le Monde



A chaque enfant qui naît, le monde recommence.

terça-feira, outubro 03, 2006

segunda-feira, outubro 02, 2006

sur la plage


Derniers Baisers

Quand vient la fin de l'été sur la plage
Il faut alors se quitter peut-être pour toujours
Oublier cette plage et nos baisers

Quand vient la fin de l'été sur la plage
L'amour va se terminer comme il a commencé
Doucement sur la plage par un baiser

(Les Chats Sauvages)

Esta estrofe, era mais conhecida que sei lá o quê... um verdadeiro sucesso, já com 40 e tal anos.
Ainda hoje dou por mim, de quando em vez, a trautear esta velha canção do princípio dos anos 60.

domingo, outubro 01, 2006

Amanhecer XXIX


O velho Sudebaker, aí está ele, impecável, todo lavadinho, bem lustroso, reflectindo os primeiros raios de Sol da manhã, à porta dos Bombeiros de Colares, prontinho para participar nas festas populares deste fim de semana, em Almoçageme.

A Fonte 661

BRAVÃES Deve ter uma designação e uma data, que não consegui saber - ninguém passou ali para me esclarecer. No início da íngreme subida ...