quinta-feira, março 03, 2011

sem paz

Cais do Guadiana, no Pomarão

Amar, sofrer, fugir em pavor
morrer e morrer, viver amor
perder, perdoar a sonhar amar
fuga, construção, solidão e paixão
afago de paixão, odor de amizade
pequenez, ansiedade, morto
morto, obcessão,
obcessão, amplexo,
asfixia da razão, manso,
manso, a revolta em embrião,
manso, fuga fugaz,
fugaz, o renovar novo de novo
imagem, imaginação abatida,
perdida, pérfida a revolta
manso, urgente vivo
sofrer amar, fugir
condescender, perder prazer
prazer, prazer ou morrer.

Não há paz!

(escrito com caneta e papel;
conflito interior de sentimentos, emoções contraditórias;
coisas próprias de uma quinta-feira típica dos idos anos 80)

Sem comentários:

Amanhecer DLXIII

Praia das Maçãs, Sintra C'est en septembre Quand les voiliers sont dévoilés Et que la plage, tremblent sous l'ombre D'un...