domingo, março 27, 2011

A Fonte 572


Às portas de Trancoso,
a "Fonte de David", que já teve duas bicas e dois tanques (com água).

Sonhava, anónimo e disperso,
O Império por Deus mesmo visto,
Confuso como o Universo
E plebeu como Jesus Cristo.
Não foi nem santo nem herói,
Mas Deus sagrou com Seu sinal
Este, cujo coração foi
Não português, mas Portugal.


(Poema de Fernando Pessoa,
definindo o Sapateiro, Profeta e Trovador Gonçalo Anes, o "Bandarra" (Trancoso, 1500 a 1556).

Sem comentários:

A Fonte 672

Figueira de Castelo Rodrigo Na beira do caminho, junto ao Convento de Aguiar, base da encosta onde se encontra o que resta das muralhas ...